Cacique e Pajé Ver maior

Cacique e Pajé

Disponível para Shows. Consulte-nos

Release

Filhos de agricultores, Antônio Borges de Alvarenga, o Cacique, filho de Francisco Borges e Joana Geraldína de Oliveira, nasceu em Monte Aprazível-SP em 25/03/1935; e Roque Pereira Paiva, o Pajé, filho de Antônio Pereira e Cecília Verdoot, nasceu em Bofete-SP em 22/08/1936 e faleceu em São Paulo-SP em 05/03/1994.

Os integrantes da dupla não são Índios, apesar da indumentária e também do distante parentesco que possuem com a Tribo dos Caiapós de Rondonópolis-MT.

Antônio e Roque desenvolveram atividades artísticas e utilizaram diversos outros pseudônimos antes de formar a dupla Cacique e Pajé:

Antônio adotou de início o nome artístico de Peixoto e fez com João Rodrigues, a dupla "Peixoto e Peixinho". Gravaram na gravadora Centenário um "compacto duplo" no qual continha a música "Violeiro Franco" (Antônio Borges - Roque Pereira Paiva). Em seguida, adotou o nome de Rei do Gado e formou dupla com Peão Campeiro. A dupla "Peão Campeiro e Rei do Gado" lançou um LP em 1970 pela gravadora Califórnia, destacando-se entre outras a música "Arrependida" (Garcia - Zé Matão).

Em 1971, Antônio Borges gravou com João Antônio um LP pela Fermata, em 1971. Pouco depois, mudou seu nome artístico para Ferreirinho e fez dupla com João Ferreira. Na ocasião, foi adotado o nome da dupla como sendo "João Ferreira e Ferreirinho" para não ser confundida com a antiga dupla João Ferreira e Ferreirinha.

Em 1977, reassumiu o nome artístico de Rei do Gado, juntou-se finalmente a Roque Pereira, que adotou o nome de Boiadeiro. E, com o pseudônimo de Índios Caiapós, gravaram um LP pela Sonora.

E foi no ano de 1978, que nasceu a dupla chamada "Cacique e Pajé, ocasião na qual gravaram um LP pela Chantecler (hoje Warner Music) com destaque para "Pescador e Catireiro" (Cacique - Carreirinho). No mesmo ano, participaram juntamente com Sérgio Reis e a Orquestra de Violeiros de Osasco do histórico show promovido por Tonico e Tinoco no Teatro Municipal de São Paulo-SP, o qual também deu origem ao livro "Da Beira da Tuia ao Teatro Municipal".

Em 1979, fizeram sucesso com "Caçando e Pescando" (Cacique - Tangará) e "Deixa o Índio em Paz" (Cacique - Capitão Furtado). E, na década de 1980, lançaram mais 5 LPs, destacando-se, dentre outras, "Viola no Samba" (Rei do Mar - Cacique), "Poemas das Cordas" (Paulo Gaúcho - Zé Raimundo), "Cadê o Gato" (Cacique - Pajé) e "As Flores e os Animais" (Paraíso - José Fortuna).

Em 1983, Cacique e Pajé participaram do LP de Taiguara "Canções de Amor e Liberdade" interpretando com ele "Voz do Leste" (Taiguara). Disco esse, por sinal, extremamente emocionante, que foi o primeiro que Taiguara gravou após ter retornado do exílio no Uruguai. Para nossa felicidade, a Warner relançou o álbum em CD, apesar de não ter reproduzido o encarte do LP original, o qual é riquíssimo em informações.

Em 1985, quando do lançamento do 8º LP, com destaque para "Peão Sabido" (Cacique - Nhô Véio), Pajé adoeceu e teve que se afastar da dupla. Nesse período de 4 anos, Cacique seguiu a carreira acompanhado pelo Violeiro José Pereira de Souza. Pajé voltou a gravar com Cacique em 1989 pela RGE, com destaque para "Inquilina de Violeiro" (Cacique - João Gonçalves - Thomaz).

Cacique e Pajé prosseguiram então com a carreira até o trágico falecimento do Pajé em 1994, após ter perdido a voz, sofrido dois derrames e do braço e perna direitos amputados. Pajé deixou a esposa e oito filhos.

No ano seguinte, José Pereira de Souza (que adotara o nome de Cachoeira) substituiu o Pajé na dupla, que prosseguiu com o mesmo nome e lançou novo LP pelo selo Disco de Ouro, com destaque para "Barretos Não Faz Feio" (Cacique - Lourival dos Santos - João Macedo).

Antônio Borges e José Pereira mantém-se em plena atividade com o nome Cacique e Pajé, lançando novos CD's, dentre os quais, quero destacar "Modão de Viola", com destaque para "A Mulher do Cachaceiro" (Moacir dos Santos - Tião do Carro), "Travessia do Araguaia" (Dino Franco - Décio dos Santos), "Vaca Maiada" (José Caetano Erba - Cacique - Nil) e "Inezita a Pioneira" (Domério de Oliveira - Luis Pingueiro - Cacique), esta última com a participação especial de Celia e Celma.

E, na foto à direita, Cacique e Pajé na Sala São Paulo - Estação Júlio Prestes, no dia 14/03/2005, por ocasião da comemoração dos 25 Anos do programa Viola Minha Viola que vai ao ar aos Sábados à noite e aos Domingos pela manhã pela TV Cultura de São Paulo-SP, evento esse que também comemorou os 80 anos da apresentadora Inezita Barroso.

Obs.: As informações contidas no texto desta página são originárias principalmente dos sites Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira e Enciclopédia Musical Brasileira. Ver também mais detalhes e links na página Para saber mais... onde constam as referências bibliográficas sem as quais a elaboração deste site teria sido impossível.